English

TítuloFalência dos Mecanismos de Regulação Endócrina na Obesidade e sua Relação com a Carcinogénese Mamária
Título (Inglês) Failure of Regulation of Endocrine Mechanisms in Obesity and its Relationship to Breast Cancer
AutorSantos, Ana Paula , 1962
Classificação e Indexação (CDU: 61-0) -
InstituiçãoInstituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar -- Universidade do Porto
GéneroTese de Mestrado
LínguaPortuguês
Data22 / 6 / 2005
ResumoIntrodução: O cancro da mama e a síndrome metabólica são doenças dos países desenvolvidos relacionadas com hábitos alimentares de alto valor calórico e vida sedentária. A resistência à insulina parece ser o elo que faltava na relação entre as duas doenças. A hipótese insulínica estabelece a relação entre a insulino-resistência, o hiperinsulinismo e o hiperestrogenismo como base fisiopatológica comum que leva à proliferação das células epiteliais mamárias. Métodos: A amostra estudada incluiu um grupo de 43 doentes de idade não inferior a 40 anos, não diabéticas com cancro da mama sem qualquer tratamento, nomeadamente adjuvante. Os resultados foram comparados com um grupo controlo de 43 mulheres não diabéticas, não oncológicas, com idades e estádio de menopausa semelhantes. O protocolo de trabalho incluiu um inquérito sobre os factores de risco para cancro da mama e diabetes tipo 2. Foram também avaliados os parâmetros antropométricos (altura, peso, índice de massa corporal, perímetro da cintura, perímetro da anca e razão cintura-anca), a tensão arterial e perfil lipídico. Foi ainda efectuado o doseamento do peptídeo-C, SHBG e análises hormonais, para além de uma prova de tolerância à glicose oral com curva de glicose e insulina. Resultados: A idade média era de 58,7 anos em ambos os grupos (p=0,83). O estádio de menopausa e os factores de risco tradicionais para cancro da mama revelaram-se também semelhantes nos dois grupos. Os elementos do grupo controlo faziam mais exercício físico que os do grupo de doentes (p<0,01). As doentes com cancro da mama tiveram mais filhos macrossómicos (p<0,05). O perímetro da cintura (p<0,01), a TA sistólica (p<0,01), os triglicerídeos (p<0,05) foram significativamente mais elevados e a HDL-C significativamente mais baixa (p<0,05) no grupo de doentes. A síndrome metabólica foi diagnosticada segundo os critérios NCEP/ATPIII em 48.8% das doentes com carcinoma da mama vs. 18.6% dos controlos (p<0.01). O odds ratio das doentes com síndrome metabólica para cancro da mama foi de 4.2 (95% IC, 1.58-11.05; p<0,01). O risco duplicou à medida que o número de componentes da síndrome metabólica aumentou. Na prova de tolerância à glicose oral, verificaram-se diferenças significativas nos valores de insulina em todos os tempos de colheita (p<0,05), bem como dos valores basais do peptídeo-C (p<0,001) e dos índices HOMA-RI (p<0,01) e ISIcomp (p<0,01). A glicemia média (p<0,05), a insulina média (p<0,01) e o pico insulínico (p<0,01) foram também significativamente mais elevados no grupo de doentes. O odds ratio para cancro da mama em doentes com HOMA-RI acima dos valores médios de referência foi de 6,5 (95% IC 2,3-18,5; p<0,001). O risco para cancro da mama associado aos factores de risco cardiovascular foi na maioria dos casos, agravado pelo sedentarismo. Os níveis de SHBG foram inferiores no grupo de doentes e o valor médio de ?4-androstenediona e da estrona nas mulheres pós-menopausa sem tratamento com THS foi superior, não atingindo no entanto, significado estatístico. Não foi possivel demonstrar qualquer associação entre a IGF1 e leptina e o cancro da mama. Conclusão: Na amostra estudada, a resistência à insulina, o hiperinsulinismo e a síndrome metabólica são factores de risco para cancro da mama. O risco parece ser proporcional ao número de componentes daquela síndrome. Para além das complicações cardiovasculares, o cancro da mama parece ser mais uma das co-morbilidades da síndrome metabólica. A prevenção e tratamento da resistência à insulina e síndrome metabólica poderão prevenir o cancro da mama, para além de reduzir a incidência de diabetes tipo 2 e doença cardiovascular.
NotasSat Mar 04 16:50:38 WET 2006 - System: New Object Created -
Cópia Local Completa Para esta tese não existe cópia local completa.

Metadados
FicheiroTipoDataModoName Space
deptalv1.xmlDescritivoGeradohttp://deptal.bn.pt/xsd/deptal/1.0/
oai_dc.xmlDescritivoGeradohttp://www.openarchives.org/OAI/2.0/oai_dc/
marc.xmlDescritivoGeradohttp://www.bn.pt/standards/metadata/marcxml/1.0/
tel.xmlDescritivoGeradohttp://krait.kb.nl/coop/tel/handbook/telterms.html
iso2709.isoDescritivoGeradoiso2709
mets.xmlEstruturalGeradohttp://www.loc.gov/METS/

Identificador DiTeD30675
Data de Registo
Validado pela AdministraçãoNão
Data da Última Modificação
printImprimirEnglish